12.18.2012

Fé, asfalto e afeto

Carrego espaços dentro de mim,
que se preenchem, entre distâncias e presenças,
de memórias e pessoas.

Cabem lugares geográficos e fantásticos.
Possíveis sempre.

Passam estradas aqui dentro,
trajetórias instigantes para qualquer vida ou personagem.
Heróis, cidades e castelos.

Há quem habite o coração.
De longe ou  perto,
olhar e palavras são renovados sempre.
Território do amor.

Sinto meu corpo cada dia mais etéreo.
Sem armaduras, 
atravessam-me novamente os sonhos
e estou reaprendendo a acreditar.

12.02.2012

Do sonho



esta noite mastiguei palavras em sonho,
brinquei de ser rei, profeta e  palhaço

desaprendi o significado das coisas

o que era antes,
 já não o era depois...

...um  coma alegre de poesia e deus




golpe do tempo



à primeira vista
o último adeus