12.18.2012

Fé, asfalto e afeto

Carrego espaços dentro de mim,
que se preenchem, entre distâncias e presenças,
de memórias e pessoas.

Cabem lugares geográficos e fantásticos.
Possíveis sempre.

Passam estradas aqui dentro,
trajetórias instigantes para qualquer vida ou personagem.
Heróis, cidades e castelos.

Há quem habite o coração.
De longe ou  perto,
olhar e palavras são renovados sempre.
Território do amor.

Sinto meu corpo cada dia mais etéreo.
Sem armaduras, 
atravessam-me novamente os sonhos
e estou reaprendendo a acreditar.

12.02.2012

Do sonho



esta noite mastiguei palavras em sonho,
brinquei de ser rei, profeta e  palhaço

desaprendi o significado das coisas

o que era antes,
 já não o era depois...

...um  coma alegre de poesia e deus




golpe do tempo



à primeira vista
o último adeus

11.15.2012

Da série: letra pra sua canção - Repente de amor


desamor é solo seco
pedra dura, difícil de quebrar

o amor é solo fértil
pra nascer é só plantar


é de soleira, é sol
é de poeira pó
deserto arrebol
alguém que viva só

surpresa de rompante
que cai de repente
como chuva que ignora a previsão

amor é sorte de um instante
sopro que sente
invisível afago de um coração






3.07.2012

já não é carnaval

é o céu de cinza da quarta e última vez

o último gole, um íntimo golpe

deslise ou insensatez?

dança na ponta dos pés ... pra fugir, fingir segredo 

e perde miúdo calado minuto
que escorre da ponta do dedo





                                            Henrique Manoel Manara


E se te aceito se solta no ar
e se te solto aceita voar


e seja sempre minha


sorte do mundo 
se é esse o teu mundo...caminha



2.23.2012

e não tinha nome, nem rosto
pálido, sem aroma, sem gosto
era feito de nada, dobraduras em vão
de camadas vazias, paisagens nulas, horizonte sem chão