5.28.2007

Casa de espelhos

René Magritte, Espelho falso, 1928

Seu império não é nada
sua verdade muito menos
só tem você e sua falsa
forma de ser eu

Tolo desengano
Que se achas ser

Louco desencanto
que revelas ter

O teu próprio espelho te prendeu
Tem o rosto vazio de lágrimas
Cheios de ninguéns e eu

5.19.2007

seria assim

Se eu soubesse que seria só um susto seu
sobre o tempo saltaria sobre sua sóbria louca face
que se escondeu de mim
e já não seria mais assim
como era seu.